Consultas médicas, cursos de especialização, assinatura de uma plataforma de streaming, trabalho em home office. Estas foram algumas das experiências online que muitos consumidores viveram pela primeira vez, desde que o coronavírus começou a se espalhar.

Os dados coletados em pesquisa da Kantar e Bain & Company reforçam que esta é a primeira pandemia da história a contar com uma ajuda importante à favor dos negócios: a internet.

Texto como começar a vender online

Se o seu negócio ainda não está online, talvez este seja o melhor momento para torná-lo parte do novo normal. Afinal, a tendência é de que mesmo quando o surto passar, os hábitos online sejam mantidos pelos consumidores.

Vendas online são a saída para todos os modelos de negócio?

Enquanto empresários de todos os setores convivem com as incertezas geradas pela Covid-19, inúmeras atividades têm observado um aumento na demanda. 

Ensino à distância (EAD), telemedicina, delivery de todos os tipos, e-commerce de alimentos e bebidas, além de serviços relacionados à saúde foram alguns setores que registraram aumento significativo.

Só os cursos de ensino à distância (EAD) ou semipresenciais, por exemplo, tiveram incremento de 68% nas matrículas, conforme levantamento realizado pela Catho Educação, entre 21 de março e 6 de abril.

Texto como montar a loja online

Em fase final de produção, os resultados do estudo da consultoria americana Bain & Company no Brasil devem se assemelhar às tendências do resto do mundo, demonstrando que existem muitas oportunidades na crise, mas que elas não são registradas na mesma medida em todos os setores.

Se para algumas áreas os números são crescentes, outras (que já estão sofrendo déficit) devem lidar com um cenário ainda mais nebuloso pós-pandemia, principalmente se não aproveitarem este período para agir.

Este é o momento em que duas perguntas se tornam decisivas: 

1- Quais são as alternativas que meu negócio tem para superar a crise, emergindo mais forte do que outros no segmento?

2 – Como a organização pode aprender com essa experiência para vencer dentro do novo normal?

Em resposta, algumas equipes de liderança mundo afora estão se comprometendo com dois princípios orientadores: aja agora para proteger e executar hoje e planeje reequipar os negócios para o futuro.

O que se vê, até agora, é que as empresas mais bem-sucedidas em meio à pandemia compartilham características como: 

  • Uso dos recursos e habilidades que já possuem
  • Criação de um produto ou serviço que solucione problemas imediatos
  • Velocidade
  • Flexibilidade 

Migrar para o digital pode ser uma estratégia interessante para responder à crise. Isso porque, estar online, significa ser encontrado quando o interesse por determinados produtos ou serviços for retomado (caso as vendas da categoria não estejam aceleradas neste momento). 

No entanto, dependendo do modelo de comercialização escolhido, existem custos envolvidos e talvez esses recursos não sejam viáveis para alguns negócios agora. 

Nesses casos, a melhor saída é valer-se das estratégias de Marketing Digital e focar nas estratégias relacionamento com a audiência para, quando for possível, planejar a migração para um modelo de e-commerce ou marketplace.

E-commerce ou marketplace?

O objetivo é o mesmo, comercialização. Mas existem aspectos que diferenciam o e-commerce do marketplace. 

De forma geral, o modelo de e-commerce abrange as lojas independentes, nas quais os consumidores compram as mercadorias diretamente da empresa. Vender no próprio e-commerce é uma forma de reforçar a credibilidade e de dar segurança ao cliente.

Ao optar pelo marketplace, por outro lado, você anuncia seus produtos em um site de terceiros, tendo maior visibilidade e nenhum gasto com plataformas. Por outro lado, apesar do alto tráfego, seu negócio estará concorrendo no mesmo terreno com centenas de outros negócios.

É por isso que escolher o melhor canal de venda depende do produto comercializado, das necessidades dos clientes e dos objetivos de negócio que você tem.

Passo a passo para começar a vender online

Quando o assunto é loja virtual, todo o planejamento que deve acontecer offline é de extrema importância para o sucesso dos negócios, que não acontecerá em um passe de mágicas.

O chamado back office inclui a construção de bases sólidas para aspectos como logística, estoque, gerenciamento de pedidos, relatórios e faturamento. Por isso, antes de optar pelo modelo de e-commerce ou marketplace é essencial elaborar um plano de negócios.

Para facilitar o entendimento de quais são as etapas necessárias para a migração do negócio físico para o ambiente virtual, elaboramos um checklist com o passo a passo do processo.

Baixe agora mesmo!

Para obter resultados vendendo online, é preciso contar ainda com esforço e dedicação. Os tempos são difíceis, mas o número de pessoas comprando online aumentou, o que faz deste um cenário de oportunidades.

Para aproveitar ao máximo todas as potencialidades de ter pessoas conectadas por mais tempo, você precisa acompanhar e otimizar diálogos e envolver os clientes, para que eles voltem sempre. 

Vender diretamente para o cliente é sempre uma oportunidade única de oferecer a ele experiências marcantes. A escolha da plataforma faz toda a diferença, tanto para guiar o cliente por uma experiência de compra única, quanto pela agilidade e facilidade na gestão que proporciona a você. 

Se está certo de que este é o melhor momento para iniciar as vendas online, não deixe de entrar em contato com um de nossos consultores para conhecer a AGEC, plataforma que proporciona a melhor experiência de venda online do mercado.